PROCESSOS DE LEITURA E ESCRITA EM UMA TURMA DO SEGUNDO SEGMENTO DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Renato Pereira Aurélio, Adauta Gomes

Resumo


Este estudo tem como objetivo investigar alguns aspectos da leitura e da escrita da EJA. O interesse surgiu durante a realização de um curso de especialização PROEJA-EAD, quando foi possível aprofundar nos estudos sobre o surgimento, consolidação e desafios da EJA na atualidade. Baseia-se em documentos e autores que discutem o assunto, considerando-se o seu desenvolvimento a partir do século XX. É realizada uma discussão sobre as práticas de leitura na EJA, considerando-se as demandas específicas desta modalidade. Aborda-se um pouco sobre os desafios da escrita, evidenciando-se a necessidade de estabelecer metodologias coerentes com esse público-alvo. É feita uma investigação sobre as condições de leitura em uma turma da 7ª etapa do 2º segmento, contendo 28 alunos. O trabalho foi realizado na Escola de Ensino Fundamental Professor Carlos Dias Miranda Cunha, situada em São Gabriel da Palha - ES. Os instrumentos utilizados foram o questionário e a observação direta.


Texto completo:

PDF

Referências


AURÉLIO, Renato Pereira. Práticas de Leitura e Produção Textual: Por uma abordagem Sociointerativa. In: BATISTA, Adriana Santos et al (orgs). Linguística e Ensino de Língua Portuguesa. São Paulo: Opção, 2014.

BEISIEGEL, C. R. Estado e educação popular: um estudo sobre a educação de adultos. São Paulo: Ática, 1982.

BRASIL, Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Resolução da CEB 1 de 5 de julho de 2000. Brasília, 2000. Disponível em: Acesso em: 02 abr. 2016.

______, Ministério da Educação. Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos – PROEJA. Decreto nº 5.840, de 13 de julho de 2006. Brasília, 2006. Disponível em: portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf2/proeja_medio.pdf. Acesso em: 02 abr. 2016.

______. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Brasília, 1996. Disponível em: Acesso em: 02 abr. 2016.

DEITOS et.al. O PROEJA como politica pública: aspectos socioeducacionais, políticos e institucionais. Produção do conhecimento no PROEJA: cinco anos de pesquisa. 1ª Ed. – Curitiba: Ed. UTFPR, 2012.

FREIRE, Paulo. Educação e Mudança. São Paulo: Paz e Terra, 1979.

LAKATOS E. M.; MARCONI, M. de A. Técnicas de pesquisa: planejamento e educação de pesquisa, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 3 ed. São Paulo: Atlas, 2000.

LÉVY Pierre. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. Tradução de Luiz Paulo Rouanet. 5. ed. São Paulo, Loyola, 1998.

LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 1999.

MEDEIROS. Luzia Bernardete. Os sujeitos da EJA e suas marcas. 2008. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/1548-6.pdf. Acesso em: 02 abr. 2016.

MIRADOR Internacional. Dicionário brasileiro de língua portuguesa. 4.ed.v.2. São Paulo: Melhoramentos, 1980.

PAIVA, V. Educação Popular e Educação de Adultos. São Paulo: Loyola, 1973.

RODRIGUES, Maria Emilia de Castro. Educação de jovens e adultos: retomando uma história negada. 2011. Disponível em: forumeja.org.br/go/sites/forumeja.org.../eja_umahistoria_negadago.pdf. Acesso em: 02 abr. 2016.

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. 2 ed. 3.rev. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

SOUSA, Socorro Cláudia de Tavares. As formas de interação na internet e suas implicações para o ensino de língua materna. In. ARAÚJO. Júlio César (Org.) Internet & ensino: novos gêneros, outros desafios. Rio de Janeiro: Lucerna, 2007.

VALOMIN, Cleuza do Rocio. O processo de apropriação da leitura e da escrita na Educação de Jovens e Adultos. 2008. Disponível em: www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/1743-8.pdf. Acesso em: 02 abr. 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.