O TELETRABALHO NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

João Paulo Ferreira, Ramony Maria da Silva Reis Oliveira

Resumo


Diante do ritmo acelerado de inovações tecnológicas, o modelo tradicional de trabalho não
consegue corresponder às novas exigências da contemporaneidade laboral, exigindo, assim,
uma modernização trabalhista. Daí a razão do trabalho não-presencial apresentar-se como porta
de saída para os problemas atuais. Esse estudo objetiva compreender a atuação do teletrabalho
no modelo assistencial de Educação a Distância, alcançado através dos objetivos específicos,
que são compreender a definição de teletrabalho, suas peculiaridades, vantagens e
desvantagens; dissertar sobre a relação entre o teletrabalho e a Educação a Distância, por fim,
apresentar os atuais avanços na legislação trabalhista brasileira no que se refere ao teletrabalho.
Após a exploração qualitativa e descritiva dos dados teóricos da área, através de pesquisas em
livros, websites, artigos científicos e consulta às legislações pátrias, verificou-se que o
teletrabalho é imprescindível para a Educação a Distância, e que são necessárias medidas para
valorizar e garantir seus direitos trabalhistas.


Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, Alexandre Moço; SILVA, José Roberto Gomes da. Percepções dos indivíduos

sobre as consequências do teletrabalho na configuração home-office: estudo de caso na Shell

Brasil. Cadernos EBAPE, v. 8, n. 1, art. 5 mar. 2010.

BELLONI, Maria Luiza. Educação a distância. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2003.

BOEK, Aloha. Aumenta o número de empresas que adotam o home office como prática no

Brasil. The City Fix Brasil. 11 nov. 2016.

BRASIL. Lei no 12.551, de 15 de dezembro de 2011. Altera o art. 6o da Consolidação das Leis

do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto- Lei no 5.452, de 1° de maio de 1943, para

equiparar os efeitos jurídicos da subordinação exercida por meios telemáticos e

informatizados à exercida por meios pessoais e diretos. Diário Oficial da União. Brasília,

DF, 16 dez. 2011. Seção 1, p. 3. Disponível em:

>. Acesso em: 10 jul. 2017.

BRASIL. Lei no 13.467, de 13 de julho de 2017. Altera a Consolidação das Leis do Trabalho

(CLT), aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, e as Leis nos 6.019, de 3

de janeiro de 1974, 8.036, de 11 de maio de 1990, e 8.212, de 24 de julho de 1991, a fim de

adequar a legislação às novas relações de trabalho. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 14

jul. 2017. n. 134, Seção 1, p. 2. Disponível em:

na=2&totalArquivos=96>. Acesso em: 13 ago. 2017.

LAVINAS, Lena et al. Trabalho a domicílio: novas formas de contratação. Genebra:

Reparticão Internacional do Trabalho, 1998. 54 p. Disponível em:

ed_emp/documents/publication/wcms_123612.pdf>. Acesso em: 13 ago. 2017.

MILL, Daniel; FIDALGO, Fernando. Sobre tutoria virtual na educação a distância:

caracterizando o teletrabalho docente. Virtual Educa, 2007.

MILL, Daniel; RIBEIRO, Luis Roberto de Camargo; OLIVEIRA, Marcia Rozenfeld Gomes

de (Org.). Polidocência na educação a distância: múltiplos enfoques. São Carlos: Scielo -

Edufscar, 2010. 200 p.

OIT. ABC dos direitos das mulheres trabalhadoras e da igualdade de gé nero. 2. ed.

Lisboa: Oit, 2007. 256 p. Disponível em:

es_606.pdf>. Acesso em: 13 ago. 2017.

PRESSE, France. Estudos alertam que teletrabalho pode aumentar estresse e insônia. 26

abr. 2017. Disponível em:

teletrabalho-pode-aumentar-estresse-e-insonia.ghtml>. Acesso em: 07 set. 2017.

ROCHA, Cláudio Jannotti da; MUNIZ, Mirella Karen de Carvalho Bifano. O teletrabalho à

luz do artigo 6o da CLT: o acompanhamento do direito do trabalho às mudanças do mundopós-moderno. Revista do Tribunal Regional do Trabalho da 3a Região, Belo Horizonte, v.

, n. 87/88, p.101-115, jan./dez. 2013. Disponível em:

_karen_carvalho_bifano_muniz.pdf>. Acesso em: 10 jul. 2017.

RODRIGUES, Ana Cristina Barcellos. Teletrabalho: a tecnologia transformando as relações

de trabalho. 2011. 136f. Dissertação (Mestrado em Direito do Trabalho e da Seguridade

Social) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

SINPRO/RS (Rio Grande do Sul). Educação a Distância e Teletrabalho. Extraclasse. Porto

Alegre, nov. 2004. Disponível em:

a-distancia-e-teletrabalho/>. Acesso em: 08 jul. 2017.

SOBRATT. Sociedade Brasileira de Teletrabalho e Teleatividades. Pesquisa Home Office

Brasil 2016 – Teletrabalho e Home Office, uma tendência nas empresas brasileiras. São

Paulo: Sobratt, 2016. Disponível em:

estudo-home-office-brasil-apresenta-o-cenario-atual-da-pratica-no-pais-sap-consultoria/>.

Acesso em: 08 jul 2017.

SQUAIELLA, Roberta Betania Ferreira; MARCHELLI, Maria Victoria; RIGHI, Roberto.

Perspectivas do EAD e do teletrabalho na melhoria da mobilidade urbana da Região

Metropolitana de São Paulo (RMSP). Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades, v. 5,

n. 29, 2017.

TACHIZAWA, Takeshy; MELLO, Alvaro. ESTRATÉGIAS EMPRESARIAIS E O

TELETRABALHO: Um enfoque na realidade brasileira. Rio de Janeiro: Pontal, 2003. 200

p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.