TUTORIA E AS CONDIÇÕES DO TELETRABALHO

Jeter Liano Silva

Resumo


Este trabalho científico tem o propósito de apresentar uma análise do funcionamento dos cursos de educação a distância no Brasil bem como questões relacionadas à execução de atividades de tutoria. O estudo visa compreender as condições do trabalho às quais os profissionais da Educação à Distância (EaD) estão subordinados no Brasil. Além disso, busca compreender os reflexos sociais que o teletrabalho traz para os tutores, instituições de ensino, meio ambiente e sociedade. Neste trabalho, constatou-se que o Teletrabalho é uma nova modalidade, com vantagens não apenas ao empregado, mas também à empresa contratante e à economia em geral. Por fim, essa pesquisa demonstra que o Teletrabalho no Brasil necessita da criação de uma legislação mais bem especifica, onde devam ser asseguradas as garantias consolidadas ao trabalhador. Pois esse tipo de trabalho possui reflexos sociais, econômicos e ambientais.


Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, Verônica Altef. O trabalho do docente virtual: análise jurídica das condições de trabalho decorrentes do sistema de educação a distância. Manaus: Anais do Conpedi, 2007, p. 3272.

BRASIL. Lei 6514 de 22 de dezembro de 1977. Da segurança e da medicina do trabalho. Brasília, 1977.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Brasília, 1996.

BRASIL.Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991.Dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social e dá outras providências. Brasília-DF, 1991.

DELGADO, Maurício Godinho. Contrato de trabalho: caracterização,distinções, efeitos. São Paulo: LTr, 1999, p. 22.

BRASIL. Consolidação das Leis do Trabalho, Código de Processo Civil, Legislação trabalhista e processual trabalhista, Legislação Previdenciária e Constituição Federal. Organização Nelson Mannrich. – 9 ed. rev., ampl. e atual. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2008. p. 24

GULARTE DUARTE, Leonardo. Teletrabalho: um novo modelo de trabalho. In: Âmbito Jurídico, Rio Grande, XI, n. 59, nov 2008. Disponível em: . Acesso em 24 out 2016

JUNIOR, J.S.O. Teletrabalho: vantagens e desvantagens para indivíduos, organizações e sociedade. São Paulo, 2013.

MANÃS, Cristian Marcello. A externalização da atividade produtiva: o impacto do teletrabalho na nova ordem econômica. Revista da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Paraná, Curitiba, n. 24, p. 21-32, 2004.

MILL, Daniel Ribeiro. Educação a distância e trabalho docente virtual: sobre tecnologia, espaços, tempos, coletividade e relações sociais de sexo na Idade Mídia. Tese (Doutorado em Educação) — Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais (FAE/UFMG), Belo Horizonte, 2006.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Portaria 1679/GM de 19 de setembro de 2002. Dispõe sobre a estruturação da rede nacional de atenção integral à saúde do trabalhador no SUS e dá outras providências,Brasília-DF, 2002.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Portaria nº 2437/GM de 7 de dezembro de 2005. Dispõe sobre a ampliação e o fortalecimento da Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador - RENAST no Sistema Único de Saúde - SUS e dá outras providências, Brasília-DF, 2005.

OLIVEIRA, Ramony Maria da Silva Reis. A Tutoria no Contexto da EAD. Montes Claros: Unimontes, 2012.

SCOTTINI, Debora Tiemi. Aspectos trabalhistas na educação a distância. In: Âmbito Jurídico, Rio Grande, XV, n. 100, maio 2012. Disponível em: . Acesso em 24 out 2016.

SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DE MINAS GERAIS. Cartilha “Saúde do Trabalhador”, Belo Horizonte-MG, 2011.

SOUZA, Anadélia Viana. Teletrabalho e suas implicações no direito trabalhista brasileiro.. In: Âmbito Jurídico, Rio Grande, XIII, n. 76, maio 2010. Disponível em:. Acesso em 24 out 2016


Apontamentos

  • Não há apontamentos.