JOGOS EDUCATIVOS NO ENSINO DE QUÍMICA AS DIFERENTES CONCEPÇÕES DE CONSTRUÇÕES TEMÁTICAS POR ALUNOS DO ENSINO MÉDIO A PARTIR DO JOGO CARA A CARA®

Hayume Emanuelle Martins Brito, Brígida Talita Costa Dias de Freitas, Farley Jean de Sousa, Ricardo Magalhães Dias Cardozo

Resumo


Atualmente no ensino de química, a abordagem lúdica por meio de jogos educativos vem sendo muito utilizada como ferramenta pedagógica. No entanto, para o Ensino Médio, recomenda-se a utilização de jogos mais elaborados, utilizando-se principalmente os jogos intelectuais. Nesse sentido, desenvolveu-se uma metodologia alternativa, levando os alunos a construção do seu próprio jogo educativo, com o objetivo de estimular suas habilidades criativas e cognitivas. O público alvo foram alguns alunos de segundo e terceiro anos do Ensino Médio de uma escola pública de Salinas/MG. Foram confeccionados dez jogos alternativos ao jogo Cara a Cara®, abordando os temas: tabela periódica, funções orgânicas e inorgânicas, soluções, métodos de separação de misturas e história da química a partir da utilização de materiais recicláveis de baixo custo. Este trabalho vem descrever as diferentes concepções temáticas desses alunos na construção dos jogos. 


Texto completo:

PDF

Referências


CAVALVANTI, E. L. D. e SOARES, M. H. F. B. O uso do jogo de roles (roleplaying game) como estratégia de discussão e avaliação do conhecimento químico. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, Disponível em: . Acesso em 21 de junho de 2011.

CUNHA, B. M. et al. Jogos na Educação Química: Algumas considerações. In: Encontro Paulista de Pesquisa em Ensino de Química, 6, 2011, São Carlos. Anais... São Paulo, p. 330-333.

____________. Jogos no Ensino de Química: Considerações Teóricas para sua Utilização em Sala de Aula. Pesquisa em Ensino, Química Nova na Escola, V. 34, n. 2, p. 92-98, maio 2012.

DOMINGOS, A. C. D.; RECENA P. C. M. Elaboração de jogos didáticos no processo de ensino e aprendizagem de química: A construção do conhecimento. Ciências & Cognição, Rio de Janeiro v. 15 (1) p. 272-281, Jan. 2010

ESCREMIN, V; CALEFI, P. E. Elaboração de jogos na formação inicial de professores: Ferramenta para a formação pedagógica e a especifica integradas. In: Encontro Paulista de Pesquisa em Ensino de Química, 7, 2011, São Carlos. Anais... São Carlos: Encontro Paulista de Pesquisa em Ensino de Química, 2011, p. 257-262.

GOMES, M.A.M. A utilização dos jogos na educação/ Diferentes abordagens. Revista Argumento, Jundiaí, v-n.10, p. 119-133, Out. 2003.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida; O Brinquedo na Educação: Considerações Históricas. Disponível em . Acesso em 4 de jun. de 2011.

PCNs: Parâmetros Curriculares Nacionais. Ciências da Natureza, Matemática e Suas Tecnologias/ Secretaria de educação básica, Brasília: Ministério da Educação. Orientações curriculares para o ensino médio, v. 2, 2006.

GÓMEZ, A. P. O pensamento Prático do Professor: A formação do professor como profissional reflexivo. In: NÓVOA, A. (Coord.) Os professores e a sua formação. Anais... Lisboa, Dom Quixote, 1992.

QUADROS, A. L; et al. O conteúdo químico desenvolvido nas aulas de Educação Básica: O que os professores consideram barreiras para a aprendizagem? In: Encontro Nacional de Ensino de Química, 15, 2010, Brasília. Anais... Encontro Nacional de Ensino de Química, 2010, p. 1-4.

SANTANA, E. M. A Influência de atividades lúdicas na aprendizagem de conceitos químicos. In: Seminário Nacional de Educação Profissional e Tecnológica, 1, 2008, Belo Horizonte. Anais... Seminário Nacional de Educação Profissional e Tecnológica, 2008.

SCHNETZLER, R. P. A pesquisa em ensino de química no Brasil: Conquistas e perspectivas. Química Nova, Piracicaba, v. 25, supl. 1, p. 14 -24. Nov. 2004

SCHÖN, D. A. Educando o profissional reflexivo: Um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

SOARES, M.H.F.B. Jogos e atividades lúdicas no ensino de química: Teoria, métodos em aplicações. In: Encontro Nacional de Ensino de Química, 14, 2008, Curitiba. Anais... Paraná: Departamento de química da UFPR. 2008. p. 2-8.

SOARES, M. Jogos para o Ensino de Química: teoria, e métodos aplicações. Química Nova na Escola, V. 31, n. 3, p. 224, 2009

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, p. 59 –65, 1984.

ZEICHNER, K. M. A formação reflexiva de professores: ideias e práticas. Lisboa: Educa, 1993.

ZULIANI, S. R. Q. A.; HARTWIG, D. R. A influência dos processos que buscam a auto formação: Uma leitura através da fenomenologia e da semiótica social. Ciência e Educação, v. 15, n. 2, p. 359-82, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.